Ativista pró-maconha e programas policiais

O Senado vai analisar uma sugestão legislativa (SUG 24/2020) que proíbe a exibição de programas policiais “sensacionalistas” pela televisão aberta das 6h às 22h. A ideia, que recebeu 22.038 mil assinaturas no período de três meses, foi encaminhada por meio do portal e-Cidadania e enviada à Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O autor da proposta é o autodeclarado “ativista” pró-maconha, Jonas Rafael Rossato. Em seu Instagram, ele exibe várias fotos com a Cannabis e tem quatro páginas sobre o tema. Em uma delas, ele vende “seda”. Em outro perfil no Instagram, trata-se de uma agência de turismo, que promove um “tour canábico” em países que legalizaram a droga.

O objetivo da medida de Rossato é proibir a exibição desse tipo de programa das 6h às 22h. A sugestão dele ainda ressalta que as empresas de televisão podem elaborar produções com outros conteúdos, mas para aumentar audiência dos telespectadores insistem em “recorrer a programas que espalham notícias violentas sob pretexto de informar”, justifica Jonas.

De acordo com o ativista pró-maconha, os apresentadores de programas “sensacionalistas” propagam “discursos especulativos e agressivos”.

Foto: Jonas Rafael Rossatto/Instagram
Foto: Jonas Rafael Rossatto/Instagram
 
Foto: Jonas Rafael Rossatto/Instagram
Foto: Jonas Rafael Rossatto/Instagram