Foto; Reprodução

Ouça essa matéria na integra

O deputado estadual Capitão Assumção (PSL) foi motivo de polêmica após dizer que pagaria 10 mil reais para quem assassinasse um homem que matou uma mulher, na quarta (11) no Espirito Santo.

A repercussão entre elogios e muitas críticas não abalou o deputado, que se orgulha do pedido, “Não tiro uma vírgula. Só me arrependo de não ter mais dinheiro para oferecer” disse em uma entrevista ao Estadão.

No dia do assassinato da mulher, o deputado foi à tribuna da Assembleia e lançou o desafio. “‘Quero ver quem é que vai correr atrás para prender esse vagabundo’, esbravejou, apontando para uma foto da mulher executada que estava no telão do plenário. “Dez mil reais do meu bolso para quem mandar matar esse vagabundo. Ele não merece estar vivo, não.”, completou.

E ainda concluiu:
“Tem que entregar o cara morto, aí eu pago. Vagabundo que tira vida de inocente, vai usar o sistema para ser beneficiado? A gente tem que parar com isso de achar que preso é gente boa. Preso vai para lá porque fez maldade contra o cidadão. Não pode estar vivo uma praga dessa, não. É um custo muito alto para o cidadão.”, disse.

Capitão Assunção compartilhou o seu discurso em suas redes sociais. Entretanto, as publicações foram excluídas por todas às plataformas hoje (13), ele ainda foi bloqueado pelo Facebook e não pode fazer publicações por 30 dias.