O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse nesta segunda-feira (18) que o aumento de quase 30% no desmatamento na Amazônia tem relação com atividades econômicas ilegais.

“O motivo do aumento [do desmatamento] são os conhecidos de 2012 para frente: a pressão das atividades econômicas, a maior parte ilegal. Precisamos de estratégias para conter isso”, afirmou Ricardo Salles.

Ele deu a declaração durante a apresentação, na manhã desta segunda, dos dados do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes), no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São José dos Campos.

“Ao contrário dos números divulgados nos últimos anos, vimos 29% [de aumento]. Ele está longe do que queríamos, mas está longe dos números de três casas decimais que foram divulgados”, comentou.

Neste ano, alertas diários emitidos pelo Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) já vinham mostrando aumento de áreas desmatadas na Amazônia.

Os números do Prodes, divulgados anualmente, confirmam a alta. Segundo o Inpe, o nível de precisão do Prodes é de aproximadamente 95%. O dado divulgado nesta nesta segunda ainda é preliminar: o Inpe revisará o dado no primeiro semestre do ano seguinte para chegar à taxa consolidada.

 

Siga a Gazeta Brasil no Instagram