Sobe para 88 o número de assassinatos durante o motim da Polícia Militar do Ceará. Foram  37 mortes em um intervalo de 24 horas. Ao menos 15 desses casos ocorreram na Grande Fortaleza, que é patrulhada pelo Exército desde a tarde de sexta-feira. Paralisação chega ao 5º dia.

Na última segunda-feira (17), foram registradas três mortes. Na terça-feira (18), cinco. Na quarta-feira (19), 29 casos, e, na quinta-feira (20), foram registrados 22. Na comparação, é possível ver as consequências da paralisação, considerada ilegal, dos policiais.

Até agora, o governo do Ceará afastou 167 policiais militares que participam da paralisação. O afastamento por 120 dias e a abertura de processos disciplinares foram divulgados no Diário Oficial do Estado de ontem (21). Os agentes investigados ficarão fora da folha de pagamento a partir deste mês de fevereiro. Os policiais também deverão entregar identificações funcionais, distintivos, armas, algemas, além de quaisquer outros itens que os caracterizem nas suas unidades.

 

Siga a Gazeta Brasil no Instagram