Ouça essa matéria na integra

Cerca de 200 funcionários de um Poupatempo em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, receberam mensagens na noite desta quarta-feira (25) para que comparecessem a um endereço na manhã desta quinta-feira (26). Quando chegaram, foram avisados que teriam que assinar a suspensão de seus contratos.

Nas redes sociais, pessoas se indignaram com a notícia e cobraram um posicionamento do governador de São Paulo, João Doria.

Os colaboradores afirmaram que precisaram ficar aglomerados em uma sala para assinar o documento — o que contraria todas as recomendações do Ministério da Saúde sobre a prevenção do novo coronavírus.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram