O secretário especial de Desestatização e Privatização, Salim Mattar, pediu demissão do governo, a informação foi confirmada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, durante entrevista coletiva na noite desta terça-feira (11)

Segundo Guedes, a saída do cargo se deve pelo fato de Mattar discordar da postura do governo  em relação ao programa de privatizações. “O establishment não deixa. Não avançamos nas privatizações com a mesma velocidade do que na Previdência”, disse Guedes. 

Ao Gabinete de Crise, o secretário afirmou que, por ele, “privatizava tudo”, Mattar desconversou quando foi questionado se era possível privatizar empresas públicas que estão sendo aparelhadas pelo Centrão, em acordo com o governo.

Além de Mattar, Paulo Uebel, secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital também pediu demissão hoje. De acordo com informações dadas por fonte da equipe econômica, ele “desanimou” com a decisão do governo de transferir as discussões sobre a reforma administrativa para 2021.

Apesar das baixas na pasta o ministro continuou com otimismo e revelou que o governo vai avançar nas reformas

“Se me perguntarem se houve uma debandada hoje, houve”, disse Guedes. Segundo o ministro, apesar das demissões, o governo vai “avançar com as reformas”. “Nossa reação à debandada que ocorreu hoje vai ser avançar com as reformas”, afirmou.