CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Guedes teto de gastos

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que não existe a possibilidade do Teto de Gastos deixar de existir tão cedo. De acordo ele, o “teto é uma promessa de seriedade enquanto a classe política não demonstra controle sobre as despesas.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O Teto vai existir enquanto for necessário e não vejo tão cedo essa dispensa”, disse Guedes, durante live realizada pelo Instituto Aço Brasil. 

O ministro afirmou também que o crescimento econômico já “pegou no tranco” e que as medidas tomadas pelo governo irão gerar uma enxurrada de créditos.

“A economia já pegou no tranco e estão saindo de R$ 2 bilhões a R$ 4 bilhões de crédito por dia”, disse Guedes durante live realizada pelo Instituto Aço Brasil. 

Segundo Guedes, o “desempoçamento” do crédito será fundamental para a retomada do Brasil. A ideia é que sejam liberados entre R$ 100 bilhões e R$ 200 bilhões até dezembro. 

O ministro também deixou claro que o caminho da prosperidade é o caminho das reformas – e que o governo não sairá dele. 

“Tínhamos subscrito junto ao Congresso a entrada do pacto federativo, que desindexava, desvinculava, abria espaço para gasto e devolvia o controle do orçamento público”, disse. “Cerca de 90% do orçamento é carimbado e estamos espremidos entre o teto e o piso. Dessa maneira, o colapso é inevitável.”

Por isso, para o ministro, é necessário descarimbar todas as despesas que tiraram capacidade de gestão da classe política.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE