Reprodução/TV Brasil

Durante cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira (30) o decreto que oficializa o pagamento de mais duas parcelas do auxílio emergencial a trabalhadores informais, desempregados e autônomos afetados pela pandemia da covid-19. Como a lei que criou o programa deu ao governo poder de prorrogação, o Executivo não precisa enviar uma nova proposta ao Congresso Nacional

“É um dinheiro que não é meu, mas de todos os brasileiros que pagam impostos. Isso só foi possível pelo trabalho do ministro [da Economia], Paulo Guedes, e pelo parlamento brasileiro, que votou rapidamente a matéria”, disse Bolsonaro. De acordo com o chefe do executivo, os pagamentos não são apenas para deixar a economia viva, mas para dar o sustento aos mais carentes.

“O objetivo é respeitar o espírito da lei. Pagar R$ 600 num mês e R$ 600 no outro. Só que vamos conseguir com que haja a cobertura de três meses. Vocês vão ver a solução, espero que compreendam e nos ajudem”, afirmou Guedes, ao ser perguntado sobre a prorrogação do benefício pelos parlamentares.

Assista à cerimônia da assinatura do decreto para prorrogar o benefício:

Siga a Gazeta Brasil no Instagram