Foto: reprodução

A pedido da Casa Civil, o Ministério da Cidadania apresentou a reformulação daquela que foi a principal bandeira de Lula. Para imprimir a marca do governo Bolsonaro, pode até mudar de nome e se chamar “Renda Brasil”. O que já está decidido é que será ampliado para atender a jovens de até 21 anos e conceder valores maiores aos beneficiários.

A proposta está em análise com a  equipe de Paulo Guedes para definição do volume de recursos adicionais ao programa.

Segundo informações do Estado, a área econômica já informou que pode garantir, por enquanto, “no máximo” R$ 4 bilhões adicionais.

A intenção é dividir o programa em três :

  • benefício cidadania, dado às famílias de baixa renda;
  • benefício primeira infância, para crianças de até 3 anos e
  • benefício a crianças e jovens, contemplando jovens de até 21 anos.