Foto: CAIXA

Cidades dos estados do Norte e do Nordeste são as mais beneficiadas pelo Auxílio Emergencial, que foi prorrogado por mais dois meses pelo presidente Jair Bolsonaro, aponta levantamento do economista Ecio Costa, professor da UFPE e Marcelo Freire, gerente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de Pernambuco (SDEC-PE).

De acordo com Costa, 30% dos municípios brasileiros devem ter ganhos superiores a 10% no PIB municipal em 2020.

De acordo com o Correio Braziliense, Costa está atualizando os dados no Estudo de Avaliação da Renda Básica Emergencial: Aspectos de Focalização e Eficácia do Auxílio Emergencial e estima que, com o aumento de três para cinco parcelas do benefício, o ganho médio nacional no PIB vai quase dobrar, passando de 1,5% para 2,46%.

Os estados com maior ganho são: Maranhão (8,55%) e Piauí (7,92%). Já o DF, que possui a maior renda per capita do país, ficou na lanterna com o menor impacto do auxílio emergencial no PIB, de 0,67%, conforme mostra o quadro ao lado. 

Siga a Gazeta Brasil no Instagram