segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Disney e o Politicamente Incorreto

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O tempo passa, as pessoas mudam e a cultura também. E todo mundo tem essa noção, todo mundo sabe que os conceitos mudam conforme os anos passam. Algo que era considerado como normal no passado, passa a ser um comportamento completamente desconexo de tempos atuais. Porém, o jovem revolucionário de hoje em dia parece não entender esse conceito tão simples de explicar.

A Disney sempre está nos holofotes do mundo, mas é claro, já que a empresa se tornou uma das maiores produtoras de conteúdo do planeta com suas histórias inspiradoras, personagens carismáticos e uma qualidade ímpar de produção. Mas nem mesmo esses atributos tão incríveis são o suficiente para que os Guerreiros da Justiça Social deixem passar qualquer conteúdo que eles considerem como ofensivo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com o lançamento do Disney + surgiu então a oportunidade de assistir os grandes clássicos da empresa, como Dumbo, Peter Pan, Braca de Neve e até mesmo Aladdin. Mas o que todas essas obras tão cultualmente aclamadas tem em comum em uma sociedade ‘moderna’ onde não usar pronome neutro se torna um ataque pessoal a todo um grupo de pessoas? A resposta é bem simples: todos esses filmes são, na visão deles, racistas!

Reprodução/Divulgação

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

E vale ressaltar que não é apenas a cor de pele que está em jogo aqui, pois a esquerda acusa os filmes de ser tudo de ruim, como xenofóbico e até machista. Esse assunto chamou tanta atenção que acabou parando até na revista Rolling Stones no final do ano passado, quando essa nova plataforma de filmes e séries da Disney chegou no exterior. Artigo esse que lista os filmes considerados como racistas, quase que fazendo uma ficha criminal para que os Guerreiros da Justiça Social saibam o que odiar e o porque eles estão odiando aquilo com tanto vigor.

Mas a pergunta que não quer calar continua no ar: existe racismo nos filmes antigos da Disney? A reposta não é um simples sim ou não, fazendo com que seja impossível jugar a empresa como certa ou errada. O que ocorre é que existe a história e existem valores antigos. Seria o mesmo que falar que não podemos discutir escravidão em livros de história, pois isso é considerado como racista atualmente. Não existe uma lógica em querer apagar o passado para fingir, no futuro, que esses tempos foram gloriosos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No momento em que a Disney + coloca um aviso de “representações culturais desatualizadas” nos faz apenas questionar o quão ignorante as pessoas são hoje em dia. Ora, não chega a ser óbvio que a cultura no mundo mudou? Não é óbvio que escravidão é errado hoje em dia? Nos faz questionar o quão estúpida é uma sociedade que não sabe olhar para a própria história e entender que o mundo muda.

Pode soar como algo pequeno e sem importância, mas é preocupante o fato da esquerda ver como necessário um aviso nesse tom. Como os ‘reles mortais’ que apenas vão assistir um filme com a família não tivessem a capacidade cognitiva para discernir aquilo que é certo daquilo que é errado. Mais uma vez a elite esquerdista se mostra mais preocupada em dizer como as pessoas devem ver um filme e até mesmo definir o que elas devem pensar ao invés de trabalhar para as minorias, como as que eles juram defender.

“O racismo ainda não morreu, mas respira por aparelhos. Ele só é mantido vivo por políticos, agitadores raciais e pessoas que se sentem superiores por chamar os outros de racistas.” – Thomas Sowell

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Lucas Mertens
Lucas Mertenshttps://gazetabrasil.com.br/
"Muitas ideias às vezes morrem sem nem ver a luz do dia" - Não sei nem quem disse isso, mas é uma frase muito boa. Criado em meio a muita cultura pop, sigo tentando mostrar para o mundo que não se pode ter vergonha de mostrar a sua opinião. Quem tem projetos e ideias, deve fazer acontecer e correr atrás, pois só assim que iremos realmente avançar. Não pare nunca!
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Últimos artigos