Rio de Janeiro - O diretor do Hospital Pedro Ernesto, Edmar Santos fala durante reunião no Cremerj para propor estado de calamidade pública na saúde do Rio de Janeiro. (Tomaz Silva/Agência Brasil)

O ex-secretário de Saúde do Rio, Edmar Santos, foi preso manhã desta sexta-feira (10) em Itaipava, na Região Serrana do estado, informa o G1. Ele é investigado por suspeitas de irregularidades nos contratos de Saúde do RJ durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Há suspeitas de fraudes, inclusive já apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado, em alguns contratos firmados sem licitação, entre eles, o de compra de respiradores, oxímetros e medicamentos e o de contratação de leitos privados. O governo do RJ gastou R$ 1 bilhão para fechar contratos emergenciais.

A prisão de Santos aconteceu durante uma operação do Ministério Público estadual. Além de Itaipava, os promotores estão também no endereço residencial de Santos, em Botafogo, na Zona Sul da capital. Ele e outras sete pessoas são acusados pelo Ministério Público de improbidade administrativa.

Na semana passada, a Justiça determinou a quebra do sigilo bancário e o bloqueio dos bens do ex-secretário.

Também na semana passada, ele se recusou a responder as perguntas feitas pelas Comissões de Fiscalização dos Gastos do Estado, da Assembleia Legislativa do RJ (Alerj), contra a Covid-19 e de Saúde durante uma sessão virtual virtual.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram