O medicamento antiviral experimental chamado remdesivir, da farmacêutica americana Gilead Sciences, está mostrando uma grande eficácia no tratamento do novo coronavírus.

De acordo com os estudos preliminares, o medicamento tem acelerado a recuperação de pacientes e reduziu o tempo de internação de pacientes graves. Ele age reduzindo a capacidade de replicação do vírus no organismo humano.

Atualmente, em outro estudo, desenvolvido também pela Gilead Sciences, a empresa reporta que os pacientes reagiram melhor ao medicamento quando o receberam cedo no quadro de infecção pelo novo coronavírus. Segundo a companhia, 62% dos pacientes que receberam o remdesivir cedo tiveram alta do hospital. Entre os que receberam o remédio com a covid-19 em estágio mais avançado, 49% tiveram alta.

O estudo analisou a eficácia do remdesivir quando foi dado a pacientes com quadros graves de covid-19 por cinco dias e por dez dias. O teste envolveu cerca de 400 pessoas.

O medicamento é considerado um dos mais promissores para acelerar o tratamento da covid-19 e tem animado pesquisadores e investidores, que veem as ações da Gilead subindo nas últimas semanas.

Em três semanas, a Universidade de Nebraska-Lincoln divulgará os primeiros resultados de um teste amplo e rigoroso sobre o efeito do remdesivir em pacientes com a covid-19. Participam do estudo 500 pacientes de 70 países

Siga a Gazeta Brasil no Instagram