CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mamãe Falei e padre Lancellotti

O juiz da 2ª Zona Eleitoral de São Paulo, Emílio Migliano Neto, mandou nesta quinta-feira (01), o candidato a prefeito da cidade, Arhtur ‘Mamãe Falei’ Do Val, tirar do ar vídeos e posts em redes sociais com ataques ao padre Júlio Lancelotti.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para o magistrado, os posts de Arthur são “propaganda eleitoral vedada”. Ainda de acordo com a decisão, os posts serviram para dar mais visibilidade ao candidato e podem ser entendidos como “propaganda eleitoral antecipada”. Em um dos vídeos, Mamãe Falei chamou o padre de “cafetão da miséria”.

“É evidente que as condutas descritas, ainda que dirigidas à pessoa alheia ao pleito eleitoral, significam risco à lisura e igualdade da disputa, na medida em que restou demonstrado que após as críticas feitas ao Padre Lancelotti, o representado Do Val obteve maior visibilidade perante seu eleitorado, adquirindo notoriedade na mídia por criticar abertamente figura pública com apelo para determinado nicho político contrário ao seu”, escreveu o juiz da 2ª Zona Eleitoral de SP.

O magistrado atendeu a pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE). Segundo os promotores, Arthur cometeu crimes contra a honra do padre Júlio Lancelotti, conhecido por seu trabalho com a Pastoral do Povo de Rua, especialmente na Cracolândia de SP.

Os vídeos com ataques ao padre fazem parte de uma das plataformas de campanha do candidato, que diz pretender acabar com a Cracolândia. Em 14 de setembro, ‘Mamãe Falei’ postou um vídeo no Instagram dizendo o seguinte: “O padre Júlio Lancelotti, que não estava na Cracolândia no final de semana, quando traficantes atacaram guardas da GCM, foi logo acusando a Polícia de São Paulo de ‘estar a serviço da morte’. Até quando esse cafetão da miséria vai achar que é dono da verdade enquanto milhares de brasileiros sofrem com a cracolândia? Anotem: vou desmascará-lo”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE