CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (14), em suas redes sociais, que vetou a isenção de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) a igrejas para evitar “um quase certo processo de impeachment” e citou pontos da legislação sobre responsabilidade fiscal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Porém, o presidente disse que se fosse deputado ou senador, votaria pela derrubada do veto: “Confesso, caso fosse Deputado ou Senador, por ocasião da análise do veto que deve ocorrer até outubro, votaria pela derrubada do mesmo”.

E mais:

“No mais, via PEC [proposta de emenda à Constituição] a ser apresentada nessa semana, manifestaremos uma possível solução para estabelecer o alcance adequado para a imunidade das igrejas nas questões tributárias”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE