Foto: reprodução/ Instagram

Fátima Dantas Montenegro, está sofrendo ameaças, depois de ter fazer um discurso para o presidente Jair Bolsonaro, no qual pedia para colocar o exército nas ruas e reabertura o comércio. A apoiadora afirmou em entrevista para o Poder360 nesta sexta-feira (03) que passou a receber ameaças no WhatsApp e em outras redes sociais.

“Até da África já me ligaram aqui. Estão falando muita coisa pesada. Estou com minha vida aberta, estou com medo. Poxa, acabaram com a minha vida. O que eu vou fazer agora? Me diz! O que eu vou fazer agora? Estão me xingando de tudo que é nome”, afirmou.

Imagem-WhatsApp

Fátima é professora particular de caligrafia, e revelou disse que está sem conseguir trabalhar, pois ninguém quer ir à casa dela durante a pandemia do novo coronavírus. Sendo assim ela da mesma forma, também não pode ir para a casa de ninguém. Além disso, o coworking onde ela trabalha está fechado.

“Sei que o vírus é perigoso e que está matando também, mas é preciso ter 1 equilíbrio. Você vai perder seu emprego, porque vai chegar 1 momento em que ninguém vai ter dinheiro para nada. E as pessoas não estão caindo na real disso”, falou.

Com a repercussão de seu discurso para Bolsonaro, a professora alegou que precisou tirar seus perfis do ar para se proteger de falsas acusações e xingamentos:

“Nunca pensei que isso fosse acontecer na minha vida; que fosse repercutir desse jeito. Minha vida virou de cabeça para baixo. Agora tive que tirar [do ar] minhas redes sociais, que é onde faço o meu trabalho. Vou ter que trocar meu chip. Acabou tudo.” 

Além disso, a professora acabou também por ser vítima de fake news, internautas afirmam que ela é empresária, por ter sido sócia de uma empresa chamada Caligrafia ABZ, porém como foi investigado de acordo com o Poder360, isso não passa de uma mentira.

No site da Receita Federal, mostra que a Caligrafia ABZ está inapta desde 2018. Portanto, ela não tem mais CNPJ. Tornando as acusações infundadas.

“Eu tinha um CNPJ, meu CNPJ estava com problema, eu não tenho CNPJ hoje, eu uso meu nome, todo mundo paga no meu CPF e é assim que eu trabalho. (…) Eu não tenho empresa. Então, você [jornalista] está vendo tudo que é realidade: não tem robô, não tem mentira, não tem história. Meu CNPJ não existe mais, está inativo”, afirmou.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram