Em discurso feito neste sábado (19) em uma igreja evangélica, o presidente Jair Bolsonaro disse que o Brasil foi o país que se saiu melhor no aspecto econômico diante da pandemia do coronavírus. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O chefe de Estado participou de um evento na Igreja Assembleia de Deus, em Brasília. Em relação à saúde, Bolsonaro afirmou que aspectos políticos atrapalharam o combate à COVID-19. 

“Passamos uma grande provação. Ou melhor, estamos no final dela. Na parte econômica, o Brasil foi o que melhor se saiu. Quis o destino também que na área de saúde, aos poucos, ao se deixar de politizar a única alternativa que nós tínhamos, começou a se salvar mais vidas”, disse o presidente, segundo publicado pelo portal UOL. 

A citar a “única alternativa”, Bolsonaro pode estar mencionando a liberação do uso da cloroquina no tratamento precoce da COVID-19, medicamento que não tem eficácia comprovada pela ciência. 

‘Tolhido pelo Poder Judiciário’

Além disso, o presidente afirmou que foi “tolhido pelo Poder Judiciário”. Bolsonaro é contrário ao isolamento social recomendado pela Organização Mundial da Saúde para evitar a disseminação do coronavírus. Decisão do Supremo Tribunal Federal determinou que são prefeitos e governadores, e não o governo federal, os responsáveis por aplicar medidas restritivas como a quarentena. 

“Eu tive que tomar decisões, mesmo sendo tolhido pelo Poder Judiciário. Se naquele momento, a chacota se fez presente, hoje vemos que estamos no caminho certo. Se Deus quiser, voltaremos à normalidade ainda no corrente ano. O meu trabalho, como chefe de Estado, é produzir o bem-estar e a felicidade para os seus”, declarou. 

Na sexta-feira (18), em Sorriso, no Mato Grosso, o presidente chamou o isolamento social de “conversinha mole” e disse que a campanha “fique em casa” é “para os fracos”. 

‘Família quase deixou de existir’

Neste sábado (19), à plateia formada por evangélicos, Bolsonaro afirmou também que a “família quase deixou de existir há poucos anos no Brasil”. 

“Aqui, nesse recinto, se prega diuturnamente a importância da família para todos nós. A família quase deixou de existir há poucos anos. O Brasil foi tomado pelo politicamente correto, onde tudo se podia desde que não se criticasse aqueles que queriam destruir a família”, disse.
*SputnikNews