Ouça essa matéria na integra

Interessados em ter uma camiseta parecida com a que o presidente Jair Bolsonaro usava quando sofreu o atentado a faca, há pouco mais de um ano, ficaram frustrados neste sábado, 12. A estampa foi a primeira a esgotar na lojinha montada pela marca “Camisetas Opressoras” na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), que acontece no Brasil pela primeira vez.

Dos cerca de 30 modelos disponíveis, a camiseta amarela com o escrito “Meu partido é o Brasil” é uma das mais procuradas, assim como a que estampa um cachorrinho fazendo cocô – e que, no lugar, tem um símbolo do comunismo. Uma camiseta sai por R$ 39,90. Ainda é possível adquirir canecas (R$ 29,90), meias (R$ 19,90) e máscara de dormir (R$ 19,90) personalizadas pró-Bolsonaro. Um kit de produtos (R$ 69,90) e o trio de camisetas por um preço promocional, de R$ 109,99, estão entre os produtos mais vendidos no CPAC.

A organização do evento está sob a responsabilidade da American Conservative Union (ACU), a fundadora do CPAC americano, em parceria com a Fundação Índigo, ligada ao PSL, partido de Bolsonaro.

Nos Estados Unidos, o CPAC é um evento muito aguardado. Os nomes do Partido Republicano mais frequentes no encontro são justamente aqueles que ganharam força com o governo de Donald Trump — que participou de várias edições. Muitos líderes de direita da Europa também participam do evento.

Em 2020, o evento americano, que ocorrerá de 26 a 29 de fevereiro, a organização do evento está vendendo um ingresso VIP a US$ 5.750 (R$ 23,8 mil) que dá direito a acesso privilegiado, participação em coquetéis e jantares, além de acesso prioritário aos locais das palestras.