Foto: Adriano Machado/Reuters

Preso no âmbito da Operação Lava Jato, o ex-deputado federal Eduardo Cunha teve a prisão preventiva convertida para prisão domiciliar na tarde desta quinta-feira, 26. O texto da medida foi assinado pela juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, com a justificativa da pandemia do coronavírus.Cunha tem suspeita da Covid-19.

O político, de 61 anos, que se enquadra no grupo de risco da doença, terá que usar uma tornozeleira eletrônica. Ex-deputado deverá usar tornozeleira eletrônica. 

A juíza considerou em trecho da sua decisão “excepcional a situação de pandemia do vírus Covid-19, por se tratar o requerente de pessoa mais vulnerável ao risco de contaminação, considerando sua idade e seu frágil estado de saúde, substituo, por ora, a prisão preventiva de Eduardo Consentino da Cunha por prisão domiciliar, sob monitoração eletrônica”.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram