Imagem: Instituto Lula

Ouça essa matéria na integra

O Ministério Público Federal emitiu uma nota nesta quinta-feira (7) para desmentir informações publicadas no site do Partido dos Trabalhadores (PT), relata o site o Antagonista.

Segundo a publicação do PT, o procurador Ivan Cláudio Garcia Marx teria dito que não há provas que incriminem os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, no caso em que o MPF investiga repasses da JBS a senadores do MDB, feitos a pedido do PT.

“As falas do procurador citadas na matéria são referentes às afirmações de Joesley Batista em seu acordo de colaboração firmado junto à Procuradoria-Geral da República. Nesse contexto, haveria uma ‘conta-garantia’ no exterior em nome do empresário, que não teria recebido qualquer aporte financeiro que não de autoria própria. Além disso, segundo Joesley, dessa conta não teria partido nenhum pagamento de propina, a qual teria sido paga com valores disponíveis no Brasil.

Essa parte da colaboração foi considerada, pelo procurador Ivan Garcia Marx, como ‘incomprovável’ e inútil do ponto de vista probatório. Tal entendimento não afasta, por si só, a possibilidade de que tenha ocorrido a participação dos ex-presidentes no esquema criminoso, o que segue em apuração.”