Foto: Reprodução/ TV Globo

Uma nova fase da operação Lava-Jato, no Rio de Janeiro, prendeu na manhã desta terça-feira (28), um doleiro e dois funcionários do Bradesco. Eles são acusados de enviar dinheiro desviado para depósito em contas no exterior.

Foram presos até o momento, Tânia Maria Aragão de Souza, Júlio César de Andrade e Robson Luís Cunha Silva.

Tânia Maria Aragão de Souza Fonseca foi presa em casa, na Península, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, e levada para a Superintendência da PF, na Praça Mauá.

A força-tarefa investiga se os gerentes ajudaram a lavar dinheiro da quadrilha de doleiros exposta na Operação Câmbio, Desligo, há quase um ano.

O que diz o Bradesco

Em nota, o Bradesco afirmou estar à disposição das autoridades.

“O Bradesco tomou conhecimento pela imprensa nesta manhã da ação de autoridades policiais envolvendo dois funcionários. As informações, quando oficialmente disponíveis, serão apuradas internamente”, disse.

“Como sempre, o Bradesco se coloca à disposição das autoridades no sentido da plena colaboração e esclarecimento sobre as apurações que estão sendo realizadas.”

“Por fim, o Bradesco reitera que cumpre rigorosamente com as normas de conduta ética e governança vigentes para a atividade”, completou.