CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cerca de R$ 1,2 milhão em mercadorias foi apreendido durante a quarta semana da Operação Escudo, segundo levantamento prévio realizado pela Receita Federal. A iniciativa, de caráter permanente, consiste em ações coordenadas realizadas simultaneamente e de maneira intensiva no interior dos estados do Paraná e Santa Catarina– envolvendo a fronteira com um arco que se estende de norte a sul na região– de forma a surpreender as quadrilhas que promovem o ingresso ilegal de mercadorias para o restante do país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na quarta semana da operação, o foco da fiscalização foi os centros de distribuição de remessas postais. Com o apoio dos Correios, servidores da Receita Federal realizaram ações em sete cidades. No Paraná, a fiscalização ocorreu nos postos de Curitiba, Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu e Cianorte, totalizando cerca de R$ 1 milhão em mercadorias apreendidas. Em Santa Catarina, ações nos Correios de Blumenau e Curitibanos resultaram em cerca de R$ 225 mil em apreensões.

No total, foram apreendidos 1.763 volumes, em sua maioria eletrônicos que ingressaram irregularmente no país e sem o correto pagamento dos impostos. A ação da Receita Federal busca proteger a indústria nacional e estimular a concorrência saudável entre as empresas, de forma a combater a sonegação. Do início de 2019 até o final de agosto deste ano, já foram apreendidos cerca de R$ 27,8 milhões em remessas postais no Paraná e R$ 2,1 milhões em Santa Catarina.

Operação Escudo
Deflagrada no dia 10 de agosto nos estados do Paraná e Santa Catarina– esta quarta operação se soma a outras como a Fronteira Blindada e a Muralha, como uma terceira barreira da Receita Federal no combate ao contrabando e descaminho oriundo da região de fronteira com Paraguai e Argentina. Nas três semanas anteriores, ações nas estradas, transportadoras, comércio, rodoviárias e centros de distribuição postal no Paraná e Santa Catarina resultaram na apreensão de cerca de R$ 8 milhões em produtos que ingressaram ilegalmente no país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE