(ANSA) – O ministro da Justiça do estado da Renânia do Norte-Vestfália, Peter Bisenbach, anunciou nesta segunda-feira (29) que está investigando 30 mil pessoas por crimes de pedofilia online.

“Eu nunca esperei, de nenhuma maneira, a dimensão desse fenômeno dos abusos na rede. Precisamos admitir que esses crimes estão muito mais espalhados do que imaginávamos”, reconheceu Bisenbach em entrevista coletiva.

Segundo a investigação, foram encontrados diversos chats em que os acusados trocam informações e imagens de crianças e adolescentes sendo abusados. Eles constataram que a rede se trata de uma estrutura internacional de pedofilia que tem como base a cidade de Bergisch Gladbach, onde o inquérito foi iniciado em outubro do ano passado.

À época, um homem de 42 anos foi preso. Ele ainda aguarda julgamento, o que deve ocorrer em agosto desse ano. Outras 72 pessoas foram identificadas e muitas já estão respondendo a processos.

“Queremos tirar os autores de abusos de crianças do anonimato da internet. Essas pessoas se comunicam em chats como se o abuso infantil fosse algo normal e encontram um grande número de outras pessoas que compartilham essa mesma ideia”, disse ainda o ministro regional. (ANSA)