Como revelado por Radar, o Itamaraty irá reduzir quase a zero os cinco postos diplomáticos no país vizinho.

Em gesto de distanciamento da gestão de Nicolás Maduro, o governo Bolsonaro começa o desmonte da rede consular na Venezuela.

O ministro Ernesto Araújo publicou, na manhã desta quinta-feira (05), três portarias deslocando três diplomatas da Venezuela para o Brasil: a ministra de primeira classe Elza Marcelino de Castro, do consulado-geral em Caracas; o conselheiro Francisco Chaves do Nascimento Filho, do consulado brasileiro em Ciudad Guayana; e o conselheiro Carlos Leopoldo Gonçalves de Oliveira, da embaixada em Caracas.

Todos os três serão alocados na Secretaria de Estado, que fica em Brasília.

O Itamaraty propõe terceirizar o serviço para cuidados da embaixada em Caracas. 

Diplomatas venezuelanos podem ser obrigados a deixar o Brasil. Ou até mesmo adotarem medidas semelhantes e fechar aqui a representação venezuelana.

 

Siga a Gazeta Brasil no Instagram