Pesquisas de intenção de voto mostram que o recém-criado partido português de direita ‘Chega’, nacionalista e com discurso antissistema, tem crescido em popularidade, igualando ou até ultrapassando o desempenho de legendas tradicionais da política lusitana, informa a Folha de S.Paulo.

Em outubro de 2019, o ‘Chega’ conseguiu eleger seu primeiro deputado.

De acordo com levantamento feito pela Intercampus indica que, se as eleições fossem hoje, o partido teria 6,2% dos votos, superando o CDS-PP, tradicional sigla da centro-direita, e muito próximo do desempenho do Partido Comunista Português, um dos protagonistas desde a redemocratização, em 1974.

O  líder da legenda André Ventura, que é também o representante do partido no Parlamento, anunciou que vai concorrer às eleições presidenciais de janeiro de 2021.

Portugal é uma democracia parlamentar, onde o chefe de governo é o primeiro-ministro. O presidente da República tem uma função essencialmente institucional, embora com poder de vetar leis e ainda de dissolver a Assembleia de República e convocar novas eleições.

O atual presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, tem mais de 85% de aprovação popular, mas ainda não confirmou se tentará a reeleição. No fim de outubro, o presidente teve de passar por um cateterismo devido a problemas cardíacos.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram