Imagem: Reuters

A pandemia de coronavírus deixou 637 mortos nas últimas 24 horas na Espanha, o quarto dia consecutivo de queda nos óbitos e o menor número de vítimas fatais em 13 dias, segundo o balanço desta segunda-feira, 6, do Ministério da Saúde.

O número de casos aumentou 3,3% no mesmo período, contra 4,8% na véspera, o que significa uma desaceleração dos contágios no país, o segundo mais afetado do mundo em número de mortes pela Covid-19, atrás da Itália, com 13.055 óbitos entre as 135.032 pessoas contaminadas.

“Estamos observando que a taxa de crescimento da pandemia está diminuindo em quase todas as regiões”, disse a diretora adjunta do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências Sanitárias do Ministério da Saúde, Maria José Sierra, a repórteres em uma entrevista coletiva virtual.

A Espanha enfrentou na semana passada uma etapa cruel na pandemia de coronavírus, com o recorde de 950 mortes em apenas um dia em 2 de abril. O país está sob rígidas medidas de confinamento, aplicadas desde 14 de março e que devem prosseguir até 25 de abril.

Os espanhóis vivem confinados em suas casas, com possibilidade de sair apenas para o trabalho (quando o teletrabalho não é possível) ou para atividades básicas como fazer comprar ou passear com o cachorro.

Além disso, o governo decretou de 30 de março a 9 de abril a paralisação de todas as atividade econômicas “não essenciais”, uma medida que não deve ser prorrogada.

A ministra das Relações Exteriores, Arancha González, afirmou que é crucial continuar ampliando os testes para permitir a suspensão das restrições. “Estamos nos preparando para uma redução de escala, para a qual é importante saber quem está contaminado para poder gradualmente suspender o confinamento dos cidadãos espanhóis”, disse ela à emissora Antena 3.

Enquanto até agora apenas os infectados ou suspeitos de ter o Covid-19 foram testados, as novas verificações vão se concentrar na população em geral para tentar encontrar portadores que podem não estar apresentando sintomas, disse González.

As empresas espanholas estão fabricando 240.000 kits de teste por semana e aumentando a capacidade, afirmou a ministra, enquanto equipamentos também são comprados do exterior.

Em outro sinal positivo, os postos de controle para evitar a circulação de pessoas foram suspensos nesta segunda-feira em Igualada e em outras três cidades na região da Catalunha, onde houve mais de 100 mortes, informou o Ministério da Saúde.

Com Reuters e AFP

Siga a Gazeta Brasil no Instagram