Foto: Drew Angerer/Getty Images

Em entrevista à BBC,  Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, disse que existe uma “enorme evidência” de que o covid-19 veio de um laboratório em Wuhan, na China, e berço da doença e que Pequim sabia, mas se recusou a dar acesso para outros cientistas internacionais para descobrir o que aconteceu.

“Essa não é a primeira vez que nós temos o mundo exposto a vírus que resultam de falhas em laboratórios chineses”, disse Pompeo ao programa This Week, da emissora ABC.

Segundo relato,  o secretário não afirmou que o vírus foi feito pelo homem, já que ele concordou com um relatório do Escritório do Diretor de Inteligência Nacional que mostra que não houve mudança genética ou que a doença foi fabricada. Pompeo também não respondeu se a China espalhou o vírus intencionalmente.

“A China se comportou como regimes autoritários fazem, tentou esconder, mascarar e confundir”, disse Pompeo. “Eles empregaram a Organização Mundial da Saúde para fazer o mesmo”.

O governo norte-americano também vem criticando a gestão da OMS e o trabalho do órgão no gerenciamento da pandemia do coronavírus e suspendeu o financiamento.

Os EUA eram o maior financiador individual da OMS há anos e o dinheiro estava sendo usado para enviar equipamentos de segurança para outros países e financiar a pesquisa por uma vacina contra a covid-19.

Falta de acesso à informação

Pompeo terminou criticando a China por bloquear o acesso de cientistas e especialistas internacionais às informações que eles têm sobre o vírus e amostras paras as pesquisas.

“Essa é uma ameaça ativa, uma pandemia que está acontecendo agora”, disse. “O Partido Comunista Chinês continua bloqueando o acesso do mundo ocidental, que tem os melhores cientistas do mundo, de descobrir exatamente o que está acontecendo”.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram