O Governo de Cuba anunciou na última sexta-feira (10), o racionamento de produtos básicos no país, que se prepara para enfrentar a pior crise econômica.

Autoridades cubanas informaram que serão aplicadas “várias formas de racionamento” para fazer frente à escassez de alimentos básicos.

Produtos e alimentos como frango, sabão, ovos, arroz, feijão serão vendidos em quantidades limitadas. A ministra do Comércio, Betsy Díaz, pediu aos cubanos que evitem a compra por pânico. “Estamos pedindo calma”, disse a ministra na televisão estatal.

A governo atribuiu a medida ao embargo econômico dos Estados Unidos contra Cuba  movido pelo presidente Donald Trump, mas economistas dizem que a economia da ilha também foi duramente atingida pela redução dos embarques de petróleo subsidiado da Venezuela. 

Cuba importa cerca de dois terços dos seus alimentos a um custo anual de mais de dois mil milhões de dólares e a escassez de produtos básicos é comum na ilha há vários anos.