REUTERS/Loren Elliott

Dezenas de milhares de estudantes retornaram nesta segunda-feira às salas de aula em vários estados da Austrália, país que planeja normalizar suas atividades econômicas em julho, depois de controlar a propagação da pandemia da Covid-19.

Estudantes do estado de Nova Gales do Sul, o mais populoso da Austrália e cuja capital é Sydney, bem como os de Queensland e Tasmânia, voltaram às escolas hoje sob fortes medidas de higiene, mas ainda não poderão participar de excursões ou competições escolares.

Por sua vez, o estado de Victoria, que abrange a cidade de Melbourne, permitirá amanhã o retorno de seus alunos do ensino médio e superior, enquanto os demais o farão no dia 9 de junho.

Os quatro estados e territórios australianos restantes, responsáveis pela gestão da educação em suas regiões, já normalizaram as aulas ou o farão progressivamente até o início do próximo mês.

O retorno de crianças em idade escolar pressionou o transporte público, cuja capacidade de transportar passageiros foi restrita em Nova Gales do Sul.

Embora o gabinete médico do governo australiano garanta que as crianças não correm o risco de contrair o coronavírus, mais de 7 mil pais e responsáveis assinaram um pedido no portal “Change.org” para exigir que as autoridades de Nova Gales do Sul tornem a volta às aulas algo não obrigatório.

Os estados e territórios da Austrália começaram a implementar o plano do primeiro-ministro, Scott Morrison, em ritmos diferentes, com o objetivo de retomar todas as atividades em julho, embora as fronteiras do país permaneçam fechadas indefinidamente.

A Austrália, que realizou mais de 1,2 milhão de testes para detectar o novo coronavírus, registra cerca de 7,1 mil casos, incluindo 102 mortes, e desde o último dia 17 tem menos de 14 infectados diariamente.

*Com EFE

Siga a Gazeta Brasil no Instagram