Ameba comedora de cérebro

Um criança americana de 13 anos morreu no mês passado após passar férias em um acampamento na Flórida (EUA) e contrair uma ameba conhecida como “comedora de cérebro”. A informação é do jornal The Sun. Os pais de Tanner Wall disseram que o jovem estava de férias com a família em um acampamento com parque aquático e lago. Adoeceu após dois dias nadando com amigos e familiares no local.

“Ele era muito ativo. Ele amava o ar livre. Ele adora caçar, pescar”, comentou Alicia Whitehill, mãe do jovem. Os pais de Tanner afirmaram que ele ficou doente após dois dias nadando com amigos e familiares no acampamento.

Náusea, vômito e fortes dores de cabeça foram os sintomas iniciais apresentados pelo jovem. Os pais de Tanner o levaram para um hospital, onde o menino foi diagnosticado com infecção na garganta. Todavia, os pais acreditavam que era algo mais grave.

Após uma piora, Tanner foi levado a um segundo hospital, onde foi ligado a um respirador enquanto os médicos analisavam o jovem. Os médicos diagnosticaram o menino com uma infecção cerebral causada por “uma ameba parasita [‘Naegleria fowleri’] que não tem cura”. A ameba já havia deteriorado gravemente a saúde de Tanner, que já não mostrava nenhuma atividade cerebral. Dessa forma, o jovem foi desconectado do suporte vital.

Travis Wall, pai de Tanner, disse na semana passada ao portal News 4 Jax que torce para que a experiência do filho alerte as pessoas sobre a presença dessa bactéria em lagoas e lagos, “especialmente de julho ao final de setembro”.

A ameba “Naegleria fowleri”, também conhecida como “ameba comedora de cérebro”, é a causa de uma doença conhecida como meningoencefalite amebiana primária, uma infecção cerebral que leva à destruição do tecido cerebral e causa a morte em cinco dias, em média. A ameba foi descoberta há mais 50 anos e costuma entrar no corpo humano através do nariz ou da boca.