O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse nesta quarta-feira (01) que o país vai facilitar a emissão de vistos e concessão de cidadanias para cidadãos de Hong Kong. A decisão vem depois da ditadura chinesa aprovar a nova Lei de Segurança Nacional para a cidade.

Johnson afirmou, em sessão no Parlamento britânico, que a lei fere a Declaração Sino-Britânica, assinada em 1997, quando o Reino Unido devolveu o controle da ilha ao governo chinês. No acordo, a China se comprometeu a manter um regime independente em Hong Kong por 50 anos.

“Nós deixamos claro que, se a China continuasse por esse caminho, nós íamos introduzir uma nova rota para aqueles com status de cidadãos britânicos no exterior a entrarem no Reino Unido, permitindo que eles possam viver e trabalhar e, posteriormente, aplicar para a cidadania britânica. E e é exatamente isso que faremos agora”, afirmou o primeiro-ministro.

De acordo com estimativa feita pelo jornal The Wall Street Journal, revela que 40% dos cidadãos de Hong Kong estão elegíveis para aplicar ao visto britânico. Segundo Johnson, o visto permite permanência de 5 anos no Reino Unido. Depois desse período, é possível renovar por mais 1 ano e, então, entrar com o pedido da cidadania.

A nova Lei de Segurança Nacional permite às autoridades chinesas combater o que enquadram como atividade “subversiva e secessionista” em Hong Kong, aumentando ainda mais o receio de uma redução das liberdades na região semiautônoma.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram