Ouça essa matéria na integra

A Rússia reconheceu Jeanine Áñez como presidente interina da Bolívia até a eleição de um novo líder, embora não considere “legítimo o processo” de saída de Evo Morales do poder, declarou o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Riabkov, nesta quinta-feira (14).

“Está claro que é ela (Jeanine Añez) quem será considerada líder da Bolívia até a eleição de um novo presidente”, disse Riabkov, citado pela agência de imprensa pública RIA Novosti.

“A situação permanece tensa e há risco de novas complicações”, estimou em sua reunião semanal com a imprensa.

“A Bolívia precisa de calma, a partir de um diálogo pacífico, é importante restaurar o funcionamento das instituições públicas no campo constitucional”, disse Zajarova, que apelou que “todos os membros da comunidade internacional tenham uma política responsável” a respeito.

O governo brasileiro reconheceu Añez como presidente interina da Bolívia nesta quarta, saudando em nota “sua determinação de trabalhar pela pacificação do país e pela pronta realização de eleições gerais”.