De acordo com o The New York Times, Trump tem pretensão de anunciar oficialmente a juíza no próximo sábado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

The New York Times – O presidente americano Donald Trump decidiu escolher a juíza Amy Coney Barrett,como sua candidata favorita dos conservadores, para assumir o lugar da juíza Ruth Bader Ginsburg, que morreu na última sexta-feira (18), aos 87 anos, vítima de um câncer no pâncreas. Trump pretende anunciá-la oficialmente no próximo sábado.

De acordo com o jornal, a meta do presidente é forçar a confirmação do Senado antes do dia da eleição, que deve acontecer no início de novembro. Com a sua confirmação alteraria a composição ideológica da Suprema Corte por anos.

Segundo relatos apurados pelo NYT, Trump participou de uma reunião com Barrett na Casa Branca esta semana e ficou impressionado.

As fontes afirmam que a juíza Amy Coney Barrett  é bem vista pela ala conservadora por conta de sua religiosidade e causa temor entre os detratores, que alertam que sua indicação faria da alta instância um tribunal de direita.

Ainda em 2018, Barrett estava inclusa na lista de finalistas apresentada pelo presidente Donald Trump para assumir o lugar na Suprema Corte do aposentado juiz Anthony Kennedy, um posto que acabou ficando com Brett Kavanaugh, após uma feroz batalha pela confirmação.

Agora a canditada que possuí apenas 48 anos, vê sua nomeação se aproximando, o que lhe daria um posto vitalício e garantiria uma forte presença conservadora por décadas na Suprema Corte, porém, seus antecedentes seriam um novo foco de tensão em um país polarizado, apenas pelo fato de Barrett ser uma antítese de Ginsburg, a defensora dos direitos das mulheres que faleceu na semana passada.

Ficha da juíza e suas causas

A magistrada é católica praticante e mãe de sete filhos, dois deles adotados no Haiti e um com síndrome de Down, Barrett é contra o aborto, um dos temas-chave dentro da polarização cultural que domina a atualidade dos Estados Unidos.