(foto: representação)

Ouça essa matéria na integra

WASHINGTON (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, demitiu repentinamente o conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, John Bolton, nesta terça-feira, alegando haver inúmeras divergências políticas entre eles.

“Informei John Bolton na noite de ontem que seus serviços não eram mais necessários na Casa Branca. Eu discordo fortemente de muitas de suas sugestões, assim como outros na Administração”, tuitou Trump, acrescentando que nomearia um substituto na próxima semana.

Bolton, uma figura importante na política externa norte-americana que fora o terceiro conselheiro de segurança nacional do governo Trump, era amplamente conhecido por pressionar o presidente a adotar posturas mais rígidas em questões como Coreia do Norte, Irã, Rússia e Afeganistão.

Bolton, que assumiu o cargo em abril de 2018, substituindo H. R. McMaster, apresentou divergências pontuais com o secretário de Estado, Mike Pompeo, um dos maiores apoiadores de Trump.

 

Apresentando uma versão diferente dos eventos, Bolton tuitou: “Eu me ofereci para renunciar na noite de ontem e o presidente Trump disse: ‘Vamos conversar sobre isso amanhã’”.

Trump já realizou brincadeiras sobre a imagem de Bolton como defensor de guerras, dizendo em uma reunião no Salão Oval que “John nunca vira uma guerra da qual não gostasse”.

Por Susan Heavey