O Twitter e o Facebook bloquearam postagens do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em que ele pedia que os eleitores cometessem uma violação da lei eleitoral e tentassem votar duas vezes – uma pessoalmente e outra por correios – para testar o sistema antifraude.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No Twitter, foram adicionadas mensagens em dois posts do mandatário – como ocorreu em outras vezes. “Esse tuíte violou as regras do Twitter sobre a integridade cívica e eleitoral. Porém, o Twitter determinou que ele pode ser de interesse público e o tuíte permanece acessível”, informou.

Já a rede de Mark Zuckerberg informou que irá retirar o vídeo da entrevista de Trump pedindo que os eleitores da Carolina do Norte, que tradicionalmente iniciam o processo eleitoral no país, votem pelos correios e depois tentem votar pessoalmente.

A legislação norte-americana determina que os cidadãos votem apenas uma vez e, uma segunda tentativa, pode ser enquadrada como fraude.

Trump constantemente ataca o voto por correios, que neste ano está sendo ampliado por mais estados por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), por eles proporcionarem uma suposta “fraude” nos resultados.

O presidente até trocou o comando do Serviço Postal, que gerencia a questão das contabilização das cédulas, e colocou um aliado na função. No entanto, após anunciar um plano de redimensionamento do serviço, Louis DeJoy, precisou voltar atrás pelas acusações de estar tentando prejudicar o sistema – usado há muitos anos em alguns estados – e favorecer o republicano.

Teste
Por: Ansa