O governador comunista do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), desistiu das negociações que previam a compra de exemplares da revista Carta Capital para escolas públicas do Estado. A informação é da revista Oeste.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No mês passado, o Dino deu sinal verde a um contrato de mais de R$ 1,2 milhão para adquirir 1,4 mil assinaturas da publicação, mesmo sem previsão de retomada das aulas presenciais na rede estadual. A despesa foi autorizada em agosto, mas a Secretaria estadual de Educação recuou por causa da falta de justificativas para o gasto no momento em que a pandemia mantém alunos e professores em casa.

“Como no momento não existe a previsão para retorno das atividades, a secretaria destaca que o referido contrato está em processo de revogação”, argumentou o governo, em nota, no início do mês. Contudo, no dia seguinte, uma comissão para fiscalizar a execução do contrato chegou a ser instalada.

O governador comunista justifica a compra: “Pretendíamos contribuir para a formação de estudantes, com conteúdo que poderia abranger os mais variados aspectos da vida em sociedade, tais como, política, economia, justiça, mundo, diversidade, cultura e opinião”.