O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou nesta sexta-feira (25), em entrevista para a revista Veja, que a Lava Jato omitiu arquivos que podem gerar operações em todos os estados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao ser questionado sobre as polêmicas dele em relação à Lava-Jato, Aras respondeu:

“Durante a crise com os procuradores de Curitiba, alguns senadores do Nordeste me perguntaram: “Doutor, por que não tem Lava-Jato no Nordeste?”. Olha, a resposta é muito simples: Curitiba concentrou 1 petabyte de dados que, se fossem compartilhados, teria Lava-Jato em todo o Brasil, porque essas informações nunca foram enviadas a estados como Ceará, Bahia Pernambuco…”.

E mais:

“Precisamos preservar a unidade da instituição para que os nossos bancos de dados sirvam para todo o Brasil e estejam disponíveis para todos os membros da instituição. Isso é fundamental para que a Lava-Jato não fique apenas em Curitiba, São Paulo e no Rio de Janeiro, mas que se estenda para todo o Brasil, como sempre defendi”.