O “novo” PSDB, partido do governador de São Paulo, João Doria, vai oficializar neste sábado, durante seu congresso nacional em Brasília, uma mudança programática que afasta a legenda da origem social-democrata para se aproximar do eleitorado de direita e conservador que elegeu o presidente Jair Bolsonaro em 2018.

o partido tem promoveu uma consulta prévia pela internet para ouvir a militância do PSBB a respeito de temas sobre os quais o partido vai se posicionar. A ideia é que o resultado da enquete sirva de base para a votação dos 700 delegados esperados no evento. 

Com o deputado Alexandre Frota (SP), o empresário Paulo Marinho e o ex-ministro Gustavo Bebianno, o PSDB agora vai abraçar bandeiras que ajudaram a eleger Bolsonaro, como a redução da maioridade penal para 16 anos em caso de crimes hediondos, o fim da estabilidade para servidores públicos e o pagamento de mensalidade em universidades públicas. 

“O PSDB terá mais a cara do Doria, das novas lideranças e da militância. É o momento de posicionamento e modernização”, disse entrevista ao Estadão o presidente do diretório paulista do PSDB, Marco Vinholi, aliado do governador