Foto: Sérgio Lima/Poder360

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, criticou na noite desta terça-feira (01), o governo ainda não ter pago o “coronavoucher”, auxilio de R$ 600 do planalto para trabalhadores informais, vulneráveis, MEI e autônomos. Acelerar o processo para a distribuição do valor, sem uma analise precisa e concreta, poderia acarretar em um processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

“Não adianta tentar colocar a culpa na Constituição Federal: as suas salvaguardas fiscais não são obstáculo, mas ferramenta de superação desta crise”, escreveu Gilmar Mendes em seu Twitter.  O momento “exige grandeza”.

E Gilmar ainda concluiu seu post com a hashtag “PagaLogo”, que está sendo usado pela esquerda nas redes sociais.

Em conversas com seus assessores diretos, o ministro da Economia, Paulo Guedes chegou a ouvir frases deste tipo: “Se o sr. fizer isso sem uma emenda constitucional o sr. vai ser responsável pelo impeachment do presidente da República”.

Diante da pressão interna da burocracia estatal, Guedes acabou atado em suas ações por causa desses alertas, porém, já disse em agilizar o processo e decidir sobre ainda hoje.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram