O ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz disse nesta segunda-feira (29) à Polícia Federal (PF) que não recebeu informações privilegiadas da Operação Furna da Onça, deflagrada em novembro de 2018 e que levou à elaboração do relatório financeiro do Coaf que detectou suas movimentações financeiras, informa O Estadão.

A PF apura se houve vazamento de informações sigilosas da Furna da Onça ao senador Flávio Bolsonaro.

A investigação foi aberta após o candidato à prefeitura do Rio, Paulo Marinho (PSDB), acusar em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo que um delegado da PF no Rio vazou informações da Operação Furna da Onça à campanha de Flávio.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram