Ian Maldonado, foi um dos coordenadores do MBL, logo no início da criação do movimento social, em 2014. Hoje, o ex-membro que diz ter se decepcionado com o grupo, comentou sobre a relação do MBL com o PSDB e o governador João Doria. “Tinham relacionamento com várias empresas que pediam para eles escreverem coisas (…) Não acredito que eles faziam isso de graça”, disse o ex-membro em entrevista ao jornalista e analista político, Rodrigo Constantino na última terça-feira (14), no You Tube. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Maldonado ressalta que não pode provar, mas afirma ter acontecido algumas coisas “estranhas” durante a campanha de João Doria. 

Veja o trecho da declaração do ex-coordenador do MBL:

“Eles tinham relacionamento com várias empresas que pediam para eles escreverem coisas, eu não acredito que eles faziam isso de graça. Agora tem que ver por onde eles recebiam, se recebiam. É curioso que o relatório do Ministério Público de São Paulo, eles tenham mencionado as criptos, inclusive o relacionamento dele com alguns políticos também possam ir para esse lado”

Também desapontado com o MBL, o jornalista Rodrigo Constantino se tornou um crítico ferrenho do movimento. Durante a entrevista, o analista político revelou que uma fonte lhe contou que no 3º Congresso do Movimento Brasil Livre realizado em 2017, em São Paulo, que teve como foco as eleições de 2018, um dos líderes, Renan dos Santos, teria dito para alguns membros que reclamavam de alguma, “que era para tratar bem que o cara que tá bancando”. 

O tema em questão é tratado partir de 23:36:

Teste