Diagnóstico laboratorial de casos suspeitos do novo coronavírus (2019-nCoV), realizado pelo Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), que atua como Centro de Referência Nacional em Vírus Respiratórios para o Ministério da Saúde

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) soliciitou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira (19), que parte dos fundos recuperados da Petrobras na operação Lava Jato seja destinada a medidas de combate ao coronavírus.

Conforme informações da fundação, com sede no Rio de Janeiro, o dinheiro será “fundamental na realização de investimentos das ações necessárias nos diversos campos da instituição e no seu apoio ao Ministério da Saúde, especialmente, neste momento em que foi decretada a pandemia em relação ao COVID-19 (Coronavírus), uma crise de saúde pública de enorme proporção internacional”.

Segundo o G1, a Fiocruz sugeriu usar esses recursos, por exemplo, para a construção de uma unidade de saúde com 200 leitos no Rio, além da capacitação de profissionais de saúde e a construção de um centro de apoio às pesquisas em relação à doença.

A fundação não estipula valor específico no pedido. A análise ficará a cargo do ministro Alexandre de Moraes, relator das ações ligadas ao fundo no Supremo.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram