Foto: reprodução

O senador Flávio Bolsonaro criticou nesta quinta-feira (02), o pedido do Ministério Público Federal (MPF) da quebra do sigilo telefônico e dos e-mails de seus assessores. O ex-deputado também ironizou seu suplente e candidato a prefeitura do Rio, Paulo Marinho.

O empresário acusou Flávio de ter recebido informações de um suposto vazamento da Operação Furna da Onça, a investigação que envolve Fabrício Queiroz em “rachadinhas” na Alerj, e, a Polícia Federal (PF) abriu investigações sobre o caso.

“O cara pediu a quebra de sigilo do meu ADVOGADO? Não sei que tesão é esse em mim…”, escreveu o senador em seu Instagram.

“Realmente, eu devo ser muito gostoso… ainda nem fui ouvido e o cara já pediu a quebra de sigilo do meu advogado… Isso devido a uma fofoca do meu suplente de senador Paulo Marinho, também conhecido como tiazinha do pulôver, de que eu teria recebido uma informação sigilosa. Um vazamento já negado, inclusive, pelo desembargador do TRF-2 responsável pelo caso. Já o celular do advogado do Adelio, NADA!!!!”, finalizou.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram