Foto: reprodução

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse que o novo coronavírus não deve ser usado para libertar “qualquer criminoso”. A declaração ocorreu ao compartilhar uma matéria sobre decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, que negou pedido do ex-ministro Geddel Vieira Limar para ficar em prisão domiciliar em função do coronavírus.

“O coronavírus não pode ser usado como subterfúgio para soltar qualquer criminoso.Criminosos perigosos ou responsáveis por crimes graves, de qualquer natureza, devem ser mantidos presos. Aliás, não há nenhum caso confirmado de preso com coronavírus no Brasil.

Não podemos enfrentar junto com a epidemia do coronavírus uma crise na segurança pública. É preciso, com todo o respeito, que os magistrados examinem os casos individuais e limitem as solturas a necessidades demonstradas.”, escreveu Moro.

 

Siga a Gazeta Brasil no Instagram