Foto: reprodução

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse, em depoimento sobre ação contra os hackers, que nunca imputou crime a Glenn Greenwald, do The Intercept Brasil, responsável pela publicação das mensagens roubadas da Operação Lava Jato e de outros membros da República.

Questionado sobre a divulgação do material que os hackers haviam interceptado ilegalmente, Moro respondeu:

“Só disse que tinha sido vítima de ataque hacker e criminoso. E entendi que era reprovável moralmente a publicação daquelas mensagens, principalmente porque, com todo o respeito aos jornalistas, se fazia um sensacionalismo, não se mostrava a autenticidade e se buscava distorcer o conteúdo daquelas supostas mensagens. Mas não me posicionei publicamente e nunca disse que o jornalista tinha cometido um crime específico ali naquela questão”, afirmou o ex-ministro.

Em outubro do ano passado, Glenn Greenwald, chamou o então ministro da Justiça, Sergio Moro, de corrupto. As declarações foram dadas durante palestra na 41ª Semana de Jornalismo da PUC-SP. O jornalista acusou Sergio Moro de parcialidade e que Moro montou um processo corrupto.

Em janeiro deste ano, o MPF denunciou Glenn Greenwald por orientar hackers a apagar parte do conteúdo roubado repassado para a publicação de reportagens.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram