O vice-presidente, Hamilton Mourão, disse que o Brasil não teme retaliação dos EUA se escolher uma empresa da China na disputa pela conexão 5G no país.

O governo norte-americano acusa a estatal chinesa Huawei de servir como espiã da China e já baniu a companhia de operar no território. Na semana passada, o embaixador dos Estados Unidos em Brasília, Todd Chapman, disse que poderia haver consequências se o Brasil permitisse as operações da empresa.

Mourão destacou ainda que não pode impedir a presença de nenhuma concorrente no leilão do 5G e lembrou que mais de um terço das empresas de comunicação que operam o 4G no país têm equipamentos da Huawei e seriam prejudicadas por um eventual banimento da empresa.

O leilão do 5G deveria ocorrer neste ano, mas foi adiado devido à pandemia. A instalação da rede de telefonia virou um fator importante na guerra comercial entre China e Estados Unidos, grandes parceiros comerciais do Brasil.

O vice-presidente reafirmou os laços com os EUA, que deve ter eleições presidenciais em novembro. Empresas como a Ericsson e Nokia, apoiadas pelo governo Trump, devem participar contra a Huawei na disputa pela operação do 5G no Brasil.