O ex-assessor Fabrício Queiroz afirmou ao seu advogado, Paulo Catta Preta, que não negocia delação premiada com investigadores no caso das supostas “rachadinhas” na ALERJ quando o atual senador Flávio Bolsonaro era deputado, informa a Folha.

Segundo o jornal, Queiroz disse ao defensor: “Doutor, eu não quero delatar e não tenho o que delatar”.

O advogado, que é contra a delação, afirmou a Queiroz que, se essa fosse opção, deixaria o caso.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram