O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu por libertar a ativista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, e demais presos investigados no inquérito instaurado com o objetivo de apurar supostas “notícias falsas”, “denunciações caluniosas”, “ofensas” e “ameaças”. A informação é da CNN Brasil.

Ainda de acordo com informações da emissora americana, Sara Winter, Emerson Rui Barros dos Santos, Érica Vianna de Souza, Renan de Morais Souza e Arthur Castro deverão se manter a, no mínimo, um quilômetro de distância dos prédios do Supremo e do Congresso Nacional.

“Winter” e os demais investigados vão usar tornozeleira eletrônica e não poderão ter contato entre si. Alexandre de Moraes também estabeleceu que os militantes precisarão se recolher na parte da noite e informar quaisquer mudanças de endereço que façam.

Segundo o jornalista Oswaldo Eustáquio, Sara Winter deve deixar a prisão  meianoite desta quarta-feira (24).