Ouça essa matéria na integra

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse ter sido grampeado dentro do seu próprio gabinete, e que em seu primeiro dia de trabalho ganhou uma cusparada na cara. A declaração foi dada em entrevista à Crusoé nesta sexta-feira (16).

“No meu primeiro dia, cheguei lá embaixo e juntou um monte de funcionários do MEC para me cumprimentar. Lá pelas tantas, me deram uma cusparada na orelha. Cusparada, não. Era ranho mesmo. Esse era o ambiente. Cheguei aqui, entrei na sala, o cara me serviu café. Um cara mal-encarado. Pensei: ‘Quem é esse cara?’. Mandei checar. Era líder da Juventude do PSOL no Distrito Federal. Serviu café para o (ex-ministro Ricardo) Vélez durante 100 dias. Além disso, nesses primeiros dois meses, meu computador foi invadido quatro vezes. Minha sala foi grampeada. Na primeira semana, uma conversa minha com o (Carlos) Nadalim (secretário de Alfabetização) foi inteiramente gravada.”

 

Com Crusoé