sexta-feira, 14 de maio de 2021

Mãe de herdeiros do grupo Globo é acusada de sonegação fiscal

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 1

A ex-mulher e mãe dos filhos do dono vice-presidente do Conselho de Administração do Grupo Globo, João Roberto Marinho, se tornou alvo de quatro  processos movidos por sua ex-empregada doméstica, Maria Tânia da Silva Peixoto. Mônica Marinho está sendo acusada de usar a ex-funcionária ilegalmente como laranja no quadro de sócios de quatro empresas envolvidas em sonegação fiscal.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 2

 

A ex-empregada argumenta que foi contratada por Mônica no período de 02/06/1998 a 15/04/2000, após ela se separar do todo poderoso da Globo, na época ela trabalhava como arrumadeira. Nos autos do processo, a defesa da doméstica aponta que em agosto de 2001 ela foi impedida de realizar o recadastramento de seu CPF junto a Receita Federal e quando ela se apresentou ao órgão para verificar o problema, descobriu que a restrição tinha um motivo: sonegação fiscal nas empresas nas quais ela constava como sócia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 3

 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 4

A questão é que Tânia afirma que nunca abriu nenhuma empresa em seu nome. Ao pesquisar no Registro Civil de Pessoa Jurídica, a ex-funcionária percebeu que já era sócia majoritária de diversas empresas, nas quais foi incluída por Mônica Marinho no contrato social sem que ela sequer soubesse.

 

 

Ainda de acordo com a defesa de Tânia  enquanto ela trabalhou na residência da família Marinho, Mônica a obrigou assinar papéis em branco e fornecer cópias de seus documentos pessoais, por pressão da governanta, sob ameaças de que seria demitida, caso desobedecesse.

 

 

No ano de 2002,  Tãnia moveu mais ações com o mesmo teor nas quais foi proferida a sentença que condena Mônica Marinho ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 15 mil, impondo-se, ainda, a anulação das cessões das cotas sociais pertinentes às empresas.

 

 

Mas ainda assim, nas quatro novas ações abertas neste ano, a doméstica ainda aponta que seu nome consta no quadro de sócios das empresas, e isso a impede de ter uma vida bancária e que consiga até mesmo entrar para programas sociais, como Farmácia Popular, já que o seu nome da identidade civil diverge de seu CPF e, por conta da participação indesejada nas empresas, ela ainda não conseguiu solicitar a correção.

 

 

Dona Tânia solicitou a exibição dos documentos das empresas MFSEMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA., CNPJ 35.937.648/0001- 73; MULTIPROJECT SERVIÇOS LTDA., CNPJ 35.41.897/0001-32; M.F.S. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA., CNPJ 35.258.197/0003- 59; FAMOSA REPRESENTAÇÕES E SERVIÇOS LTDA., CNPJ 31.656.226/0001-79, a exclusão de seu nome do quadro social destas empresas, sob pena de multa diária de R$ 1 mil e o pagamento de R$ 1 milhão de indenização por danos morais.

Ela solicitou gratuidade de Justiça nas quatro ações. Em uma delas, o pedido foi negado e, caso a defesa não recorra da decisão, dificilmente o processo terá prosseguimento, uma vez que as custas tem valor expressivo mediante o alto valor da causa ( R$ 1 milhão). Já em outro processo a gratuidade foi deferida e nas outras duas causas o juízo aguarda declaração de hipossuficiência para conceder ou não a Justiça gratuita.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 5
Gazeta Brasil
Gazeta Brasilhttps://www.gazetabrasil.com.br
A Gazeta Brasil é um jornal brasileiro diário editado na cidade de São Paulo. Publica textos, fotos, vídeos no formato digital. Faz parte do grupo AZComm Comunicação e Eventos.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimos artigos